loading

Comunitas modela projeto de apoio emergencial a famílias em situação de vulnerabilidade

Com a experiência adquirida ao longo de 20 anos à frente da Comunitas, Regina Esteves, diretora-presidente da organização, modelou um projeto de apoio emergencial para famílias em situação de vulnerabilidade econômica, utilizando como método a transferência direta de renda.

O pilar do projeto, que contou com apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura de São Paulo na estruturação, passa pela união de esforços entre o setor público, com a governança e controle; a iniciativa privada, para potencializar os esforços da política pública e fortalecer os serviços que a política pública está realizando neste momento emergencial; e a sociedade civil, para somar às regras de prioridade das famílias mais vulneráveis e seguir os critérios técnicos de priorização de políticas públicas.

O objetivo do projeto é intensificar esforços e levar renda para famílias de baixa renda, visando mitigar os impactos provocados pelo Covid-19 (coronavírus). “O momento exige foco e somatória de esforços para responder, com rapidez e efetividade, aos desafios econômicos e sociais do cenário atual. Modelamos este projeto para que ele seja replicado em outras partes do País e incorporado pelos governos de forma mais ágil”, explica Regina.

A Comunitas e o apoio na implementação de ações de enfrentamento à pandemia

Desde o início da pandemia no Brasil, a Comunitas – organização dedicada à integração de uma agenda Brasil há 20 anos, resolveu reunir sua rede e buscar soluções rápidas para a crise enfrentada pela área da saúde no combate ao coronavírus.

Com a experiência de um trabalho realizado há anos junto à governos municipais e estaduais, a organização mapeou os desafios enfrentados pelas gestões, para encontrar as necessidades mais imediatas e encontrar as melhores formas de apoiar, sempre alinhada às estratégias dos governos.

Até o momento, a Comunitas já mobilizou cerca de R$ 26 milhões para a compra de equipamentos de saúde em São Paulo, sendo 345 respiradores, 121 monitores multiparâmetros e 06 ventiladores pulmonares.

 

 

Crédito da foto da capa: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.