loading

Encontro Rede Juntos da Comunitas reúne gestores de 21 territórios para tratar de Escolas de Governo

Evento é exclusivo para a rede da Comunitas e tem o objetivo de propor novos caminhos para o desenvolvimento dos gestores públicos

Na manhã desta quinta (28) a Comunitas realizou mais uma edição do Encontro Rede Juntos e, dessa vez, o tema tratado foi a formulação e apresentação de soluções e desafios para as Escolas de Governo, tanto estaduais, municipais e federais. 

 

O assunto veio de uma demanda dos próprios gestores públicos e faz parte de uma série de encontros que a Comunitas realiza para troca e reflexão acerca dos desafios e soluções tocantes ao tema. 

Para apresentar suas soluções e inspirar a rede, o evento contou com a participação de Rafaela Bastos, presidente da Fundação João Goulart, na prefeitura do Rio de Janeiro; Renata Cavalcanti, gerente da Escola de Governo de Recife; Renata Carvalho, Assessora de Inovação em Educação da Diretoria Executiva da ENAP (Escola Nacional de Administração Pública) e Thiago Matos e Jolse Quinto Ruiz, diretor geral da Escola de Governo de Ananindeua (PA). A moderação ficou a cargo de Thiago Milani, diretor de projetos da Comunitas.

Participaram também, gestores públicos, secretários e especialistas da temática de gestão de pessoas das prefeituras de Abaetetuba, Ananindeua, Bezerros, Cáceres, Campinas, Caruaru, Fortaleza, Francisco Morato, Maceió, Mogi das Cruzes, Niterói, Pelotas, Petrolina, Rio Grande, Santos, São Vicente, Recife e Rio de Janeiro; além de representantes dos Estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Pará.

Thiago iniciou tratando da importância da conexão e inspiração entre os gestores, que é um dos principais eixos da Comunitas. “Ninguém faz nada sozinho, a ideia desse encontro é unir vocês em torno de um assunto para inspirar e facilitar caminhos para quem está iniciando seus processos”.

Recife, desafios e inovações

Renata Cavalcanti (Recife) contou que a Escola de Governo de Recife se iniciou em 2013, porém, foi com a pandemia, e partir de 2020, que os cursos tiveram um crescimento grande pela possibilidade de estudo em EAD e híbrido.  “Já chegamos a ter 18 cursos mensais e, atualmente, quase metade se mantém à distância. Isso porque a gente acredita que o ensino à distância não irá retroceder.” A secretária explicou que toda a escola funciona por meio de parcerias de secretarias, laboratórios de informática e, também, do Governo Estadual. “Não há como não funcionar sem essas articulações.”

Outra característica inovadora da administração da Escola foi o incentivo não-remuneratório dado aos professores da escola através de metodologias como reconhecimento por horas aulas, medalhas e etc. Além disso, segundo Renata, a gestão por metodologia ágil tem sido fundamental para facilitar os processos internos, tendo em vista, inclusive, um organograma encurtado e a diversidade de cursos. “A principal ferramenta utilizada pela Escola de Saúde é o Trello, onde são sugeridos novos cursos, estruturas metodológicas. Essas ferramentas auxiliaram a Secretaria de Recife a economizar recursos como papel, aluguel de salas e etc”, explica.

Dentre os principais desafios enfrentados pela Escola estão o engajamento dos gestores, a troca de gestão que põe em risco a continuidade do planejamento e a falta de investimento na área.

 

A Fundação João Goulart da Prefeitura do Rio de Janeiro e seus pilares de atuação e qualificação

“O que a gente quer investir no servidor para que ele se sinta qualificado”? Foi com esse questionamento que Rafaela Bastos apresentou a Fundação João Goulart, da Prefeitura do Rio de Janeiro. A presidente da organização apresentou a escola e contou sobre o processo de nova padronagem, adotada em 2021, que conta com três pilares: pessoas, métodos e projetos. Segundo ela, “para isso, houve uma remodelação da estrutura da Fundação a qual foi feita apenas com o capital humano, sem utilização de adicional de recursos financeiros visto que ainda estavam dentro dos 4 anos do plano plurianual.”

 

Dentre os principais destaques da reformulação, Rafaela apresentou o programa Líderes Cariocas, que deixou de ser voltado apenas para hard skills e implementou novos temas na estrutura curricular. Além disso, foi lançado o programa Lideranças Femininas, seguindo a mesma estrutura curricular do Líderes Cariocas, porém voltados para a alta liderança. “Esta roupagem mais moderna da Fundação se dá por conta da reviravolta estratégica orquestrada no último ano, aproximando ainda mais a Fundação do Cidadão Carioca, expandindo o ciclo que até então era restrito aos gestores e secretários.”

Escola de Governo de Ananindeua: valorização do servidor, desenvolvimento de conhecimento

Thiago Matos, Secretário de Administração de Ananindeua (PA), e Jolse Quinto Ruiz, diretor geral da Escola de Governo de Ananindeua (PA), contaram que a escola paraense atua por um modelo de tríade: valorização do servidor, desenvolvimento de conhecimento e um programa de estágio curricular e extracurricular e complementaram “para que a administração da Escola conseguisse ter um perfil mais estratégico e técnico, a prefeitura destinou um orçamento para escola conseguir impulsionar seus projetos e exercer o que se propõe.”

Dentre os principais destaques apresentados está o oferecimento de trilhas de aprendizagem, certificação ágil, avaliação de desempenho dos instrutores e dos alunos, bem como da própria escola. Segundo Jolse, há uma metodologia pedagógica aplicada a todos os serviços oferecidos, bem como controle de frequência dos servidores. 

ENAP: um olhar para o cidadão

Renata Carvalho, Assessora de Inovação em Educação da Diretoria Executiva da ENAP (Escola Nacional de Administração Pública) salientou que, um ponto inovador da Enap foi a abertura de um espaço para as escolas de governos de estados em municípios que ao assinar um termo de adesão, podem hospedar seus cursos na plataforma da Escola de Governo Virtual da Escola.

Além disso, como se tornar relevante dentro do serviço público? Segundo Renata, através da diretriz básica de política de plano de desenvolvimento institucional, que expõe as estratégias que norteiam as ações institucionais da Escola dentro dos eixos temáticos oferecidos pela mesma. “Também foi desenvolvida uma Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoas que apresenta uma matriz de competências priorizadas em 7 categorias que buscam fazer os servidores sentirem que pertencem e são parte do serviço público brasileiro”.

Thiago Milani parabenizou as apresentações 

Lucas Ambrozio, analista de políticas públicas em gestão governamental, de São Paulo, parabenizou as apresentações. “Quanta inovação vocês estão fazendo. Há muitos anos não via tantas ações inovadoras e inspiradoras em um lugar só.”

Gabriel Rios, assistente de gestão, contou que na Escola de Governo de Fortaleza (CE) os recursos vieram dos empréstimos consignados dos servidores. “Por conta disso, terceirizados não são contemplados com as capacitações.”

 

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.